sexta-feira, 17 de abril de 2015

O Caráter

Cada um tem uma visão particular do Caráter, mas em nada mudará seu conceito. Os valores nele contido implicam em decidir o quanto se deseja alguém no círculo de convívio.

Mas o problema é que seu único manual de instruções é o próprio convívio!

Valores como honestidade, franqueza, sinceridade, transparência trazem notas altíssimas ao Caráter. E ainda assim o seu aspécto de "bom" ou "ruim" dependerá dos valores ou os graus que se aplica a eles.

O tempo é um duro, mas real e verdadeiro parâmetro para se medir o caráter de alguém. O julgamento é que o ajuda a decidir.

E não tem jeito: sempre cairemos nos mais famosos e únicos e primordiais atributos de nós, seres humanos... a Reflexão e o Livre-arbítrio.

Detalhe... a emoção pode ou não ajudar nessa escolha.
Portanto, mais uma vez recaimos... PENSE E DEPOIS ESCOLHA, com a emoção ou sem ela, e se RESPONSABILIZE pela sua escolha. Ninguém e nem nada será culpado daquilo se bom ou ruim que passar sem que vc tenha consentido, ou melhor, deixado, melhor ainda, escolhido passar por este caminho.