terça-feira, 26 de maio de 2015

SOLIDÃO ou SOLITUDE?

É sempre assim. Ovimos dos outros o que alguém falou. No meu caso tem sido... "Ele é assim porque está na solidão. Uma pessoa assim não pode ser feliz e não há nada a fazer a não ser olhar a vida alheia". E eu perguntarei, será?

Solitude é o estado de privacidade de uma pessoa, não significando, propriamente, estado de solidão.
Pode representar o isolamento e a reclusão, voluntários ou impostos, porém não diretamente associados a sofrimento. É o isolamento ou reclusão voluntário, quando o indivíduo busca estar em PAZ consigo mesmo. Em alguns casos, o indivíduo escolhe isso pelas experiências que lhe foram desagradáveis em algum tempo atrás. Sendo então a solitude uma maneira de evitar que o mesmo incidente ocorra novamente.

Solidão é um sentimento no qual uma pessoa sente uma profunda sensação de vazio e isolamento. A solidão é mais do que o sentimento de querer uma companhia ou querer realizar alguma atividade com outra pessoa não por que simplesmente se isola, mas por que os seus sentimentos precisam de algo novo que as transforme.  É o estado emocional do indivíduo que deseja ardentemente uma companhia e não a tem. Um indivíduo pode estar cercado de amigos, em meio a um salão de festas muito animado, e ainda assim estar corroído pela solidão.


Quando se encontra uma plenitude, nada abala o estado de paz interior que se sente. E isto pode acontecer estando sozinho ou acompanhado.

O único lugar atualmente onde existe paz é minha casa, meu lar. Este lugar estando no estado que estiver aos olhos dos outros ainda assim é meu refúgio, meu castelo e meu templo. Aqui sou pleno em tudo...
                                           

Mas o único e intocável lugar onde se processa esta conquista é na mente e no coração, mas não o físico. Não há nada mais importante que encontrar esta PLENITUDE dentro de si. Somem fantasmas, preocupações com os ditos alheios e toda forma de abalo que possa lhe desequilibrar retirando o centro. Óbvio que às vezes um temperozinho da vida vem testar esta vitória e dá uma balançadinha. Mas quem conquista este estado realmente apenas balança, pois cria raízes fortes e profundas.

Muitos me perguntam como é isso! Sinceramente, apenas segui as palavras de meu falecido pai que dizia que "ser feliz é a única coisa que importa e por esta razão vale a pena viver". Escolhi, assumi, errei e aprendi. E continuo neste processo...


Buscar a felicidade. Foi isso que fiz. Mas não a comum felicidade material de casa, conforto, tecnologia de ponta e etc. Esta felicidade é espiritual, um conforto chamado "alento" que se alcança em determinado estágio que não tenho como explicar.

Apenas se sente isso! E foi assim que descobri... sentindo e olhando meu passado.
Então não tenho, não vivo e não quero o que muitos têm: SOLIDÃO.
E por isso vivo em estado de total SOLITUDE.


sexta-feira, 22 de maio de 2015

TÉCNICA x EMOÇÃO

Em minhas pesquisas sobre Flamenco e danças afins, sempre me perguntei aonde ficavam as técnicas para cada uma delas.

Primeiro cabe descrever o que é Técnica:

Dicionário Aurélio: 1- A parte material ou o conjunto de processos de uma arte
                                 2- Maneira, jeito ou habilidade especial de executar ou fazer algo

Wikipedia: (do grego, τέχνη (téchne) 'arte, técnica, ofício', a palavra se origina do grego techné cuja tradução é arte, portanto, a técnica confundia-se com aarte, tendo sido separada desta ao longo dos tempos . A técnica é o procedimento ou o conjunto de procedimentos que têm como objetivo obter um determinado resultado, seja no campo da Ciência, da Tecnologia, das Artes ou em outra atividade.

Emoção pelo Dicionário Aurélio: 1- Ato de mover (moralmente)
                                                        2- Abalo moral; comoção
                                                        3- reação intensa e breve do organismo a um lance inesperado, a qual se acompanha de um estado afetivo de conotação penosa ou agradável.

Arte em qualquer espécie envolve emoção. A forma de expressá-la é infinita e focarei naquilo que estudo: o Flamenco.

Na sua forma mais primitiva e nas concepções de sua alma, que está calcada no cante, são as experiências da vida aquilo que se canta; sejam elas boas ou ruins. E é sob o acompanhamento da música emanada pelo violão e da voz que o(a) dançarino(a) expressa sob determinada formatação aquilo que é explanado pelo ritmo escolhido.

Aonde entra a Técnica nisso? Entra em tudo! Na música, no canto e na dança. Focarei na dança e questão.

A dança é constituída por sedimentos árabes, judaicos, espanhóis e ciganos do povo andaluz que dá aquele caráter que conhecemos na dança Flamenca. Então é óbvio supor que dominar estas "maneiras" de expor a dança seja fundamental para expressar aquilo que dita o ritmo.

A técnica consiste basicamente na repetição destes movimentos até que se chegue no objetivo traçado, ou melhor, a ser alcançado. Então é fato que, quanto maior o domínio destes movimentos através de técnicas, melhor será o resultado, melhor será sua expressão.

Mas por quê então muitos que dançam com "movimentos sujos" às vezes são melhores que aqueles que possuem alta qualidade técnica? Por uma simples resposta: a emoção. isso não quer dizer que o estudo de técnicas variadas não tragam ótimos resultados quando usados comedidamente na hora de dançar.

Emoção é a mola mestra da expressão flamenca. A técnica apenas ajuda na hora da exteriorização dela.

Sonia Castrioto, uma bailarina de flamenco carioca, sempre repetia nas suas aulas que "devemos estudar técnicas de dança pra melhor servir a emoção". Fato. Se tiver domínio sobre o estilo flamenco e suas diversas possibilidades, terá melhor expressividade liberta do comprometimento por falta delas.

É isso que faz a diferença nos dias de hoje ao ver uma virtuose no sapateado ou em solos extensos com uma intensão e no final se esquece até qual era o ritmo a ser expresso pelo excesso de informação.

Não existe um limite que não seja o do bom senso para aquilo que diz a letra cantada.

O Flamenco abriu suas fronteiras para a inovação, mas a criação às vezes ultrapassa o limite da emoção e a sua essência propriamente dita some nestas (con)fusões técnicas corporais de hoje.

Aí fica a pergunta pra cada um decidir:
- O que é Flamenco pra você, Técnica ou Emoção?

Eu já escolhi o que gosto!
Com certeza o uso da Técnica a serviço da Emoção.