sexta-feira, 6 de abril de 2018

Seminário sobre Identidade e Cultura Rhomá em Volta Redonda -RJ

De tantos eventos sobre ciganos feito por ciganos na capital do Rio de Janeiro, este foi o primeiro em tantos anos  ao qual me orgulho por ver resultados, ver a continuação de uma atividade iniciada com o CEC (Centro de Estudos Ciganos) lá nos anos 80 e que, após um hiato temporal, tem uma espécie de continuação, ou nova iniciativa, onde agora são vozes de jovens ciganos que buscam naquele foro a defesa de seus semelhantes.

Tive o prazer em participar como um dos palestrantes, mas consciente do meu lugar de "gadjó" ou "payo" (não-cigano), a convite da amiga e Romi Alessandra Tubbs.

Prefiro replicar suas palavras aqui após a realização deste evento.

Assim, bem deste jeito, é que tenho prazer e ganho muita felicidade em ver e poder contribuir para alguma melhora desta etnia ainda esquecida ou usada para alimentar a xenofilia de muitos.

Para deixar bem claro, não ganhei absolutamente nada a não ser a felicidade de ver meus amigos ciganos conquistando o merecido respeito.

E são de eventos como este que me enriquece nos conhecimentos dos povos ciganos e que em todas as  ocasiões são gratuitos.

Marcos Rodrigues, eu, Josycler Arana,
Mikka Capela e Alessandra Tubbs

Palavras da romi Alessandra Tubbs:

"Um evento que começou ano passado para atender algumas necessidades dos calons nômades que por aqui, VR, passam.

Ontem, 5/4/2018 foi uma noite singular, histórica, reunimos numa mesa os principais clãs ciganos, calon, sinti e rom, em plena harmonia e lutando por uma única causa: respeito a pluralidade étnico religiosa.

Sim, mostramos num seminário na UFF que há esperanças, que há diálogo e podemos coexistir com o mundo não cigano de forma a todos serem contemplados com o direito de ir e vir e exercer sua cultura.

Eu agradeço a participação do poder público de Volta Redonda representado pela secretária de cultura Aline Marah Ribeiro, pela chefe de gabinete da Seplag Bárbara Cunha, pela representante da secretaria da mulher, idoso e direitos humanos Ludmila Aguiar de Assis e pela Juliana. Agradeço a participação dos representantes do poder público de Barra Mansa e Resende que participaram ativamente do seminário, buscando conhecimento e soluções para os romás de suas cidades.

Agradeço a minha querida amiga, doutora Profa Josycler Arana que comprou meu sonho, minha ideia e junto com uma equipe maravilhosa de alunos fez acontecer o seminário na UFF.

Uma carinho e respeito infinito aos meus amigos palestrantes romás que saíram de suas casas, longe de VR e vieram somar, lutar pela causa do nosso povo. Marcos Rodrigues, Professor Eduardo Alentejo e Mikka Capella. Sou eternamente grata pela contribuição de vcs. Sabemos que este foi o pontapé inicial, que muitas coisas ainda temos que fazer, mas não desistiremos... Aonde estiver o conhecimento puro e ético, estaremos lá para absorver e informar.

Um carinho mais que especial a minha amiga Cristina da Costa Pereira, que por motivo de saúde não pode comparecer mas que me mandou um maravilhoso material que utilizei no seminário. Cristina, vc esteve presente e sempre estará presente na vida dos romás. Gratidão pela seu trabalho junto ao meu povo.

Meu amigo, professor do Studio Al-Andalus, Ricardo Samel, sua contribuição foi ímpar... seu trabalho junto à comunidade romá é impecável. Nós o respeitamos... Obrigada pela sua linda contribuição ao seminário. Nós romás agradecemos sua luta e seu carinho aos nossos.

Agradeço aos meus alunos de dança e cultura cigana (William Santos, Mara Lucia De Lacerda Bueno e seu esposo, Katia Aparecida Salustiano Salustiano, Fabiana Amaral, Cludia Rocha, Valdete Machado Neto, Luciana Aleko e seu esposo, que foram com sede de conhecimento. Agradeço as alunas de flamenco do Studio al-Andalus (Cristiane Santana e Juliane Elmôr). Vcs fazem a diferença, buscando conhecimento verdadeiro e assim respeitando a cultura romá.

Não posso deixar de agradecer a minha família (Fábio Tubbs, Henrique Tubbs e Otto) que estavam na UFF na parte de apoio em tudo que precisássemos.

Minha amiga Kurujas Paula, vc representou muito bem o colégio CEJA. Queria que todo professor de história fosse como vc, interessado em conhecer a diversidade cultural e étnico.

Agradeço a todos os presentes, principalmente aos alunos do curso de direito alunos da professora Josycler.

Este seminário foi o pontapé inicial, muito trabalho ainda precisa ser feito. Ao final do seminário tivemos a surpresa que de I Seminário de Cultura e Identidade Romá do Sul Fluminense se tornará II Seminário.... ano que vem com novas propostas e mais conhecimentos estaremos juntos em prol de uma minoria invisível!!!"


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mantenha contatos comigo deixando aqui seus comentários e seus contatos.